Manipulação das imagens digitais – quando usar?

Você dá deve ter ouvido falar desta ou daquela celebridade que ficou sem umbigo na capa da revista, ou teve alguma parte do corpo parecendo irreal numa campanha publicitária. São os chamados “Photoshop fail”, ou simplificando: erros de manipulação de imagens no Photoshop.

erro_manipulacao_photoshop_tratamento
Exemplo de erro no tratamento da fotografia: a gestante que posa para a foto teve seu umbigo eliminado.

O fato é que muitos veículos de comunicação e publicitários exageram na dose em algumas ocasiões, criando verdadeiras aberrações ou, o que é mais comum, gerando situações que levam o cliente a consumir um conceito a respeito de um produto que não representa o real.

madonna_photoshop_manipulacao_erro_tratamento
A cantora Madonna, em foto de divulgação: manipulação corretiva mostra o antes e o depois do tratamento da imagem.

Atribui-se esse fenômeno isso ao grande crescimento das imagens em meio digital e da evolução das câmeras e dos software de edição. E a discussão caminha para a questão ética do quanto “enganados” somos com aquilo que vemos. Diversos países começam inclusive a adotar legislações específicas sobre o uso de imagens manipuladas, incluindo o Brasil, que já tem um projeto de Lei tramitando no sentido de impedir os exageros publicitários.

Existe porém um outro lado da chamada manipulação corretiva que deve ser observado, este sim de grande importância: a significativa melhora na qualidade da imagem por meio da edição que contorna as limitações dos equipamentos e realça as características importantes de uma imagem, já que os suportes digitais apresentam peculiaridades que exigem uma boa edição final, apesar dos constantes aprimoramentos tecnológicos.

Ajustes como brilho, contraste, realçe de cores, correção de distorções geradas pelas lentes da câmera, remoção de pequenos pontos de sujeira, entre outros, são utilizados para valorizar o material e quase sempre são necessários, por melhor que seja a captura. Uma boa edição pode fazer toda a diferença entre uma imagem comum e uma imagem profissional.

Exemplos de tratamentos de brilho, contraste e realce de cores bem aplicados: os tons de pele parecem mais reais e a luz natural do fim de tarde valoriza o ambiente.
Exemplos de tratamentos de brilho, contraste e realce de cores bem aplicados: os tons de pele parecem mais reais e a luz natural do fim de tarde valoriza o ambiente.

É importante que você como cliente entenda o significado de uma boa edição para saber avaliar o trabalho do fotógrafo e interpretar se o seu produto ou negócio está sendo valorizado ou ridicularizado. É necessário saber avaliar a edição aplicada (não tecnicamente, mas conceitualmente) e verificar o quanto esta edição impõe de profissionalismo no trabalho.

Acompanhe as etapas de desenvolvimento, peça revisão se julgar que algo não saiu como solicitado e antes que o trabalho seja entregue dê o seu de acordo. Assim as possibilidades de que o trabalho saia como planejado inicialmente serão muito maiores.

 

LEAVE A REPLY

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *